1 de novembro de 2015

Maternidade na Noruega

Eu estava aqui pensando com os meus botões como eu escreveria o próximo post, assim do jeito que eu gosto, sem expor em excesso minha vida privada... Difícil não? Então vamos la! Ha um ano minha vida mudou radicalmente... Uma criaturinha linda e perfeitinha entrou na minha vida e "bagunçou o meu coreto". E o "Deus me livre filhos" deu lugar ao "Meu Deus, quanto tempo eu perdi, ja podia estar no terceiro, rsrsrsrs". E sim, a Escandinávia eh sem duvida o melhor lugar para se ter filhos...
 As gestantes usufruem de diversos privilégios, dividirei com vcs como foram os meus noves meses e vejam se estão de acordo...
Bom tudo começou com a decisão de que era hora de "perpetuar a especie"... Tendo decidido, procuramos ajuda medica para "acelerar" o processo... E pimba! Antes mesmo de terminarmos de fazer os exames, baby C ja estava la em formação...rsrsrs. A partir dai, começaram as visitas ao medico e a helsestasjon (um tipo de posto de saúde para gestantes e crianças, com enfermeiras especializadas). Eu infelizmente entrei para a estatísticas de mulheres que ficam mal na gestação, e isso me rendeu 4 noites tomando soro no hospital.
Quando la cheguei não tinha vaga, fiquei no corredor, mas a noite ja haviam me colocado em um quarto. Estava tão desidratada que depois de varias tentativas frustradas, as enfermeiras decidiram me levar para um anestesista, eu precisava de soro. Enfim, não foi fácil...
 Tive que me afastar do trabalho ja no quarto mês, só voltei no oitavo, quando todos os sintomas "deram uma trégua".
A minha chegada na maternidade foi uma comedia, rolou ate ambulância, hoje dou gargalhadas, mas não foi engraçado.
Meu parto foi humanizado, as enfermeiras super competentes (o que sobra de competência nas enfermeiras falta nos médicos), foi um dia como deveria ser, magico! Me deram a opção de ir para casa depois de 5 horas ou de ficar no "hotel" do hospital, como mamãe de primeira viagem, claro q optei por ficar.
Com relação ao trabalho, escolhi tirar quase um ano de licença maternidade, ganhando 80% do valor do meu salario, e mais um ano em casa sem remuneração do trabalho (tive que apelar para o sindicato neste caso, pois a empresa "tentou me negar" um direito que eh meu). Agora que ela completou 1 ano receberei 6 mil coroas de kontantstøtnad, pois não a matriculei em nenhum barnehage (creche) e 970 coroas de barnatrygd (uma ajuda de custo que toda criança recebe ate os 18 anos). Perco financeiramente, mas a família toda ganha emocionalmente <3! Passei quase 3 meses curtindo a minha licença maternidade com a parentada no Brasil, e morri de saudade dos "pequenos detalhes" que fazem toda a diferença das terras nórdicas... As calcadas, a seguranca, os banheiros de quase todos os estabelecimentos adaptados com fraldarios... Nossa, muita diferenca mesmo... Por outro lado foi muito bom ver baby C recebendo os mimos da família!

Nenhum comentário:

Palavra-chave

Follow by Email

Volta ao mundo em 80 anos :-)