26 de junho de 2012

Querendo ou nao a gente se casa com a familia...

"Prezada Carol "Oráculo", sou leitora e fã do seu blog que sempre e referencia p mim.
Estive pensando muito sobre o medo de imigrantes ( as vezes velado) pelos noruegueses e o vicio pelo dinheiro, o pavor que eles tem de serem roubados pela gentalha do hemisferio sul (porem os negocios de petroleo c Brasil interessam e bem a eles).
Apos dois anos de namoro c meu norge (qconheci atraves de amigos em Berlin) e viagens pelo mundo que fizemos juntos, casa que montamos juntos aqui no Brasil {eu pago aluguel sozinha}, ele me pediu em casamento duas vezes..aceitei na segunda mas decidimos nos estabilizar primeiro. Eu sou financeiramente independente e qdo conheci a familia dele em Asker, Sandvika e Oslo este ano foi por minha conta nas minhas ferias do trab.
Nao quero viver o sonho de fisgar um rico nunca sonhei em viver no frio sinistro daí..nem dar golpe da barriga mesmo que minha sogra peça um neto enlouquecidamente. Falo ingles fluentissimo, frances e espanhol. Conversei de igual para igual com a familia. E ja estudo bokmal c professora particular. Estavamos planejando que eu terminasse minha faculdade..para fazer o mestrado la ou melhor na Suecia. Apenas com dois meses sem nos vermos, porem com muito trabalho surgindo pra ele, grana entrando e oportunidades de ainfa mais estabilidade, ele liga dizendo que conheceu uma norueguesa e decidiu optar por ela por ser mais facil e porque ela tem familia e amigos noruegueses, fala o idioma...enfim..provavelmente branca e loira.
Eu fikei sem chao mas acho que a maior influencia foi de amigos e princ. familia com medo da brasileeeeeira(BUuuu) com esta xenofobia maldita que eles nao assumem! Mesmo apos Breivik expor esse xenofobismo!!!
Sei que ele esta infeliz influenciado de alguma forma pois me ligou chorando...pedindo um tempo..nao quer terminar.ta em duvida etc.

detalhe: a mae, mesmo sendo ex-viciada em heroina e bebendo q nem um gambazinho,trabalha na NAV. acho q quando se tocou q a nora poderia ser uma possivel miseravel tomando o dinheiro do filhote, se apavorou e botou um bloqueio. Desculpe a longa postagem mas vc sofre ou sofreu com essa discriminacao pela familia do marido? como lidar com isso? to deprimida e revoltada ao mesmo tempo mas nao queria desistir do meu amor abaixando a cabeca só pq venho d um pais em "desenvolvimento".
__________________________________________________________________________________

Olha como são as coisas... Eu aqui pensando em escrever uma homenagem a familia do meu marido e eis que me surge um texto desse...

Minha experiência... Se existe uma coisa que eu aaaamo nessa tal Noruega eh a familia do meu marido. Minha sogra foi e continua sendo uma mãe p/ mim, não eh perfeita, mas eu tb não sou, a gente as vezes se estranha como mãe e filha, principalmente quando alguemmmm ta de pilequinho, mas todo mundo vira alvo nesse momento, então eu não levo isso p/ pessoal... Mas quanto a minha nacionalidade, acho que isso nunca foi motivo de exclusão... Minha sogra eh como meu marido, fez e faz tudo por mim, quer dizer, a não ser que isso va contra o desejo do filho, mas tambem se ela ficasse do meu lado, eu,  sinceramente iria estranhar... ha ha ha

Acho que eles me aceitaram com mais facilidade tambem , por respeito a capacidade do meu marido de tomar decisões, principalmente no âmbito econômico... Meu marido eh uma pessoa extremamente sensata principalmente nesse aspecto. Inclusive da ultima vez que estive na casa de praia da sogrona ela falou com todo orgulho, que quando o John teve a confirmacão, ganhou uma bolada dos avos maternos, e o tio dele perguntou se ele não iria comprar uma nova motocicleta (ele tinha uma vespa, e todos os amigos tinham um modelo mais moderno), ele respondeu ao tio: "Minha Vespa me leva do ponto A ao ponto B e isso eh o que importa!" Pense em dar uma resposta dessas aos 16 anos, epoca em que os jovens TEM essa necessidade de autoafirmacão...  Meu marido tem muito controle na parte econômica, embora a mim não consiga negar nada, (mas eu não me orgulho disso). E eu nesses 4 anos de casamento aprendi MUITO com ele... Antes eu era uma compradora compulsiva, hoje penso mil vezes antes de comprar algo, nunca mais comprei roupas por impulso (pelo menos não na Noruega) e ele diz que ta muito orgulhoso - Pela primeira vez na vida eu tenho uma poupanca, uhuuu!

Sobre o apego ao dinheiro... eu ja estive do lado de la', mas hoje... hoje estou do lado de ca'... Cara, no final das contas "dinheiro eh o que nos resta"... Vou tentar me explicar... Tudo o que eh divertido de se fazer por essas bandas, custa dinheiro... Ser duro na Noruega, tem um significado totalmente diferente do que ser duro no Brasil... Estando dura no Brasil vc pode pegar carona e ir a praia (com o frango e a farofa na bolsa), ir no casamento da prima Clotilde, no xurras na casa do vizinho, no aniversario daquela priminha chatinha e irritante, que vc não suporta, mas vai por causa da macã do amor e do algodão doce que vc ama, no batizado da sua sobrinha, bater uma pelada no fim de semana, e seus amigos de verdade não te deixam na mão, irão te dar uma carona e fazer vaquinha p/ vc poder sair p/ balada... Agora experimenta ficar dura na Noruega... cara, tua vida vai ser facebook, tv e CASA, com um clima que te deprime... As opcões de lazer são caras... Mês passado marido e eu fomos ao cinema... Como não chegamos a um acordo de que filme iriamos ver, acabamos vendo dois filmes no mesmo dia... Um pacote de pipoca + 2 refrigerantes + 4 bilhetes de cinema e saimos de la 300 reais mais pobres... Restaurantes são carissimos, um luxo. E o que da mais alegria ao povo, viajar nas ferias p/ curtir um verão de verdade em um pais mais quente, custa os olhos da cara, pq eh alta temporada... Então... de certa forma acho que o "apego" ao dinheiro que eles tem, tem uma justificativa, talvez nem tão nobre, mas não deixa de ser uma justificativa...

O que não se justifica eh ele ser tão facilmente influenciado por amigos e familia... Pq pode parecer clichê, mas o sentimento verdadeiro não encontra barreiras... Agora eu vou te dar um conselho que dou as minhas amigas... Não trate com prioridade quem te trata como opcão... Quais são as chances de uma relacionamento que ja comeca perneta dar certo??? Pode acontecer, mas eh dificil... Eu acho que eu ja escrevi aqui, que eu terminei com um sueco com o qual eu tinha um rolo ha um certo tempo p/ ficar com o meu atual marido... Cara, eu gostava muito dele, mas não estava legal, não estava como eu queria, então pulei fora... E o mais importante: NÃO ME ARREPENDO! Não deixe o comodismo te prender a uma relacão que não esta legal, que te faz mais mal do que bem... P/ cada moleque que nos faz sofrer existem no minimo uns 3 homens com a capacidade de nos fazer feliz, mas infelizmente a gente não vê, pq temos a  mania de gostar do que não presta...rrsrsrs. Tem muitos caras bacanas tanto no Brasil quanto na Noruega... abra seus horizontes! Te desejo boa sorte Flor, sei que independente da decisão que vc tomar, não sera facil!

Ps:. Acho que vc em nenhum momento pediu minha opinião sobre o seu relacionamento, na verdade nem sei pq me estendi tanto, pois ele não serviu nem p/ ajudar na coerência ao texto, kkkk... Mas vou deixar, talvez ajude mais alguem! Obrigada pela mensagem!!!

Bjks, Carol


16 comentários:

Adriana disse...

ADOREI. Aqui eu amo a sogra e algumas vezes ela me protege mais que protege ele (exatamente como minha familia faz com ele lá afinal, como eles falam, "ele não é daqui" ehhehhe). Agora nem tudo são rosas, as sobrinhas adolescentes dele são de lua e podem ser legais ou infernais. Mas enfim eu tento não ligar muito pois adolescente são sempre enjoadas (apesar d terem 18 e 22 anos, q p/ mim não são mais adolescentes. Eu já estava cansada de trabalhar com essa idade hehhehehhe).
Enfim estou gostando dos seus posts "auto-ajuda" ehehheh.

BJSSSSSss

PS: hj estou mega feliz, achei "requeijão" hehhehehe

BJs

Carolina Krogedal disse...

kkkkkk, acho que vou criar um topico: "Carolina responde!" rsrsrsr

Daniela Pedrinha disse...

Verdade.. casamos com o pacote todo, o que pode ser uma benção por um lado e um terror por outro. Especialmente se vc tem dentro da família pessoas influenciáveis e outras bem maldosas. Aconteceu comigo recentemente, mas nem vou comentar aqui.

Só queria dizer que entendi mto o lado da moça que te escreveu, pois tem hora que norueguês é cagão sim, se deixa levar por opiniões e comentários alheios.

Espero que ela encontre a saída para isso e não se prenda a ele como última e única opção de ser feliz, de viver à dois. Concordo com vc ao dizer que "P/ cada moleque que nos faz sofrer existem no minimo uns 3 homens com a capacidade de nos fazer feliz"

Vá com calma moça do relato, pense com a sua CABEÇA, deixe um pouco o coração fora disso. Sorte!

Carolina Krogedal disse...

Sabias palavras Dani!

Luciana disse...

Nunca tive nenhum problema com a familia do meu marido, pelo contrario, assim que cheguei, e eu era uma total estranha, inclusive pro meu marido, fui bem recebida, bem ate demais. Conheci meu marido na internet, nao tinhamos contato nenhum alem de emails, cheguei aqui e dias depois conheci os sogros e a minha sogra ja mencionou que eu poderia trabalhar e estudar aqui, meu marido na epoca cortou o assunto e disse que eu nao tinha visto pra ficar aqui.
15 dias depois que eu cheguei resolvemos casar e um mês e meio depois ja estavamos casados. Nao contamos pra familia dele que iriamos casar, casamos e fomos visita-los pra contar a novidade e eles ficaram felicissimos. Uma semana depois chegaram aqui com comidas e bebidas para comemorarmos o casamento e meu aniversario. Na minha familia isso nao teria sido aceito de forma facil.
O meu cunhado eh casado com uma filipina e ela tambem sempre foi muito bem aceita pela familia.
Eu acho inclusive que os noruegueses sao abertos ate demais, aceitam muito bem os estrangeiros, se tem preconceitos ate tem, quem não tem? Mas lidam com isso de forma muito educada e evoluida.
Pessoas que sao facilmente influenciaveis tem no mundo todo, mas ate acho que os noruegueses sao mais de decidirem sozinhos, mas nao sei, pelo menos os que conheco sao assim.


Mas Carol, vocë disse tudo, pois nao da pra tratar como prioridade quem nos trata como opcão.

Beijo

Marcela Orsini disse...

Gente, eu fiquei me perguntando... Será que a menina não está equivocada ao dizer que ele quis terminar por causa da pressão da família e amigos do cara? Todo mundo que termina normalmente dá uma justificativa, né? Essa foi a que ele usou. Acho que não dá pra culpar terceiros pelo fim da relacão se ela não tem provas de que eles realmente fizeram algo contra a relacão deles. Isso é uma possibilidade, não significa que seja a verdade. E outra, se o sentimento dele fosse forte ele não estaria com essas dúvidas agora. Concordo com a Carol, melhor recuar e se dar valor.
Carol, tem muito homem bom no Brasil? Onde? me avise pra eu mandar minhas 200 amigas solteiras pra lá kkkkkk

Bete Strøm disse...

Realmente... A vida aqui ou em qualquer pais europeu não eh fácil, ao contrario do que muitos pensam, aqui não temos vida de madame e para viajar, laser e etc, tem que ter uma poupancinha... Ateh eu a mais consumista de toda a geração, mudou aqui... Eu penso duas vezes antes de querer comprar algo... Eu achava que isso havia-se dado, pelo fato de eu ter me tornado mãe, mas não eh verdade, isso eh o fato de estar vivendo na Noruega. Mas alguns luxos as vezes faz bem, mas para isso temos que poupar, essa semana eu estava afim de comer pizza e ir no parque de diversão com o meu filho, fiquei um pouco mais de 200 reais mais pobre... hahaha, bjs e como sempre adorei o post.

Camila Santiago de Paula disse...

KKKKKKKK!!! desculpa, eu mandei o comentário para o post errado!!! hahaha! MICO. Confundi com aquele da criatura que escreveu o texto discriminatório... Só peço que responda a minha pergunta, se possível ok? Obrigada!!!

Carolina disse...

Ah, essa cara me parece ser furada, não acho nem que seja por ser norueguês e tal. Talvez tenha influência negativa da família, mas eu acho que quem gosta faz tudo para dar certo, com aceitacão ou não dos outros.
Eu nunca tive problema com a família do marido, mas eles moram longe, então não os vejo com frequência.
Eu já ouvi muita história aqui de gente com problemas com a família do marido, mas outros são bem acolhidos. As vezes o problema é o marido mesmo né!?
Beijo

Carolina Krogedal disse...

As vezes não, eu acho que sempre a culpa eh do marido... Se ele escolhe o "lado errado" as coisas ficam complicadas... rsrsrsr

Carolina Krogedal disse...

Pois eh Bete, engracado a gente frequentemente usar a palavra "Luxo" para atividades como fazer a unha em salão, ir ao cinema, ou como vc, levar o filho ao parque e fazer um lanchinho... Coisas tão corriqueiras no Brasil, rsrsrs. Sou soh eu ou mais alguem acha isso tudo uma comedia?

Carolina Krogedal disse...

Oi Camila! Vou tentar achar a pergunta, assim que eu achar te respondo!

Carolina Krogedal disse...

Não achei a pergunta, vc pode repeti-la?

Camila Santiago de Paula disse...

Oi Carol!

A pergunta era se você sabe se os militares noruegueses (empregado alistado profissional, no meu caso), podem se comprometer com uma estrangeira sem problemas, ou se há restrições em relação à carreira.
Obrigada pela atenção, e tudo de bom para você. Beijão!

Carolina Krogedal disse...

Oi Camila! Depende do cargo do militar... Se ele for digamos assim "da alta inteligência do ministerio da defesa" o processo não sera tão facil. Eu tenho um amigo militar que optou por não casar com uma brasileira pois seria rebaixado de cargo. Mas eu tenho uma amiga casada com um militar "da alta" tb... Levou tempo, investigaram toda a vida dela, dos pais e dos familiares mais proximos... Não me lembro se ele mudou de cargo, mas posso perguntar... Mas eles estão casadinhos ate hoje :-)

Camila Santiago de Paula disse...

Não, ele né "da alta patente" não.
Eu só queria saber se poderia prejudicá-lo no futuro.

Obrigada!! :-)

Palavra-chave

Follow by Email

Volta ao mundo em 80 anos :-)